Hora corrente: 20-08-2019, 04:11 AM
Avaliação do Tópico:
  • 11 voto(s) - 3 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Administrador[Tutorial] Criar ISOs e gravar com o ImgBurn
Criar ISOs e gravar com o ImgBurn Mensagempor Gato Misha » 23 Mar 2014, 19:53 Um dos melhores softwares para criar e gravar ISOs é o ImgBurn.
#1
Thumbs Up 
Um dos melhores softwares para criar e gravar ISOs é o ImgBurn. Descendente do velhinho DVD Decrypter, muito simples de utilizar e muito fiável. É adaptado quer para dvds, quer para blu-rays.

Nota 1: O ImgBurn não permite comprimir ou editar discos: a imagem obtida é cópia integral dos files iniciais.

Faça o download do software da sua Homepage; se existir pode também fazer o download da versão traduzida, isto na mesma página. Instale e arranque com o programa. No início aparecerá a seguinte imagem:

resim


As funções principais estão assinaladas.

1. [Write image file to disc] - Através desta opção temos a possibilidade de copiar uma imagem qualquer nos discos para dvd; seja dvd5 ou dvd9. Para aqueles que gravam ou querem gravar blu-rays, podem seguir os mesmos passos.

2. [Create image file from disc] - Por aqui podemos criar uma imagem em disco do dvd (ou BD) que se tenha na drive. A única coisa que se pode alterar é o nome final da imagem; os restantes dados são uma cópia fiel do original.

3. [Create image file from files/folders] - Na terceira opção (para mim a principal), podemos criar imagens a partir de ficheiros/pastas que se tenham em disco. Por exemplo, nome da pasta\VIDEO_TS\ficheiros do filme em formato VOB, IFO, BUP. Normalmente este é o formato utilizado pela grande maioria dos trackers (dvds); no caso de BDs o formato das pastas é um pouco mais complexo mas necessita de uma pasta equivalente a VIDEO_TS com o nome de BDMV, onde se podem encontrar os ficheiros principais com a extensão m2ts.

Nota 2: O ImgBurn "entende" quando estamos a trabalhar com dvds ou BDs e, nessa altura, pergunta se queremos comutar automaticamente para as definições correctas; deveremos sempre aceitar essa alteração, sob risco de se não aceitarmos a gravação será para o lixo. Tempo e dinheiro perdido...


Atendendo que a 1ª e a 2ª opções não permitem qualquer liberdade, vamos focar-nos na 3ª opção. Escolhendo essa alternativa abre-se a seguinte janela:

resim


1. [Source] - Indicar o local onde estão armazenados os dados para a criação da imagem. Através do icon de pasta, abre-se uma nova janela e navega-se pelos discos do pc até seleccionarmos a pasta correcta; aqui basta seleccionar a pasta principal, não é necessário indicar a VIDEO_TS (por exemplo D:\STAR_TREK_INTO_DARKNESS). O software pesquisa dentro dessa pasta principal se existe a dita sub-pasta VIDEO_TS; se não existir aparecerá uma janela de alerta para a situação.

Nota 3: Indicar apenas a pasta principal é importante quando dentro do dvd, além da dita pasta com os ficheiros de video, existe mais pastas com dados acoplados ao dvd (pastas de extras, para além dos extras normais). No caso de BDs a preocupação é a mesma, pois muitos BDs possuem outras pastas para além da principal, BDMV.

2. [Labels] - Aqui indicar a label da imagem, ou seja, o nome que ficará gravado. Não sendo muito importante, eu uso para indicar o nome do filme. No caso de BDs só uma das 2 opções (ISO9660 e UDF) estará disponível; isto deve-se ao tipo de mídia.

Nota 4: O número de caracteres possível de escrever e a forma como aparecem (maiúsculas, minúsculas, com ou sem espaços vazios, é possível de configurar no settings do ImgBurn Tools - Settings...

3. [Destination] - Aqui indica-se o local onde vai ser escrita a imagem e o seu nome. Clicando no símbolo da pasta navegamos pelo pc até determinarmos o local onde fica armazenado; e em complemento ajusta-se o nome do file.

Nota 5: O ImgBurn pode gravar a imagem sob diversos formatos, mas o mais usual é o formato ISO. Os outros estão muito em desuso, em especial para a gravação de filmes.

4. [Gravação] - Clicando no símbolo indicado dá-se início ao processo de preparação da imagem final. No caso de ser um dvd5 ou um blu-ray, podemos saltar o próximo passo; se for um dvd9 temos ainda um novo passo a efectuar: o layer break ou quebra para a mudança de camada.

resim


Um dvd9 ou Dual Layer (dvd de dupla camada), é escrito em 2 camadas sobrepostas. Algures, num determinado ponto, é necessário "quebrar" o filme para isso. Os outros softwares de gravação (DVD Fab, CloneDVD e outros) criam a imagem sem fazer essa quebra, ou seja, criam um ISO "contínuo". Resultado, depois na gravação enchem a 1ª camada e quando ela termina continuam na 2ª. O ImgBurn prepara as coisas para seleccionar o melhor momento de fazer essa quebra. Para isso, na janela anterior apresenta um conjunto de opções possíveis, indicadas por uma cor em termos de qualidade de opção: de verde a cinzenta, da melhor para a menos indicada. Deve-se seleccionar sempre uma das melhores, verde se existir (Excellent), senão vamos por aí abaixo até determinarmos a melhor. Alguns dvds possuem apenas uma única opção, outros apresentam dezenas delas. Tem a ver com a estrutura do mesmo.

Nota 6: No caso de existirem duas ou mais opções com a mesma cor, dentro da melhor (verdes por exemplo), tenho o hábito de seleccionar sempre a última da lista. é um critério como outro qualquer, mas tem uma razão de ser: a escolha do local para o layer break vai influenciar a dimensão da imagem. Quanto maior a quantidade de dados na 1ª camada, menos "volumoso" o ISO (menos gigas ocupados). Em termos de download/upload é indiferente, pois para uma imagem maior o que existe é um maior espaço "vazio" na imagem. O emule transmite a indicação que em cada chunk existe um maior ou menos volume de dados vazios para preencher a imagem na sua totalidade. No fundo é a percentagem de compressão que alguns emules indicam para certos ISOs. Mas o espaço em disco é ocupado. Em jeito de informação, dois ISOs criados com diferentes layers break podem ocupar até mais 1Gb de espaço em disco com imensa facilidade.

Tendo efectuado estes passos todos e se tudo estiver correcto, deverá aparecer esta imagem:

resim


É só seleccionar o botão de OK e dá-se assim início ao processo de criação do ISO.

Nota 7: Neste caso em particular, em relação à dimensão do ISO, o layer break escolhido cria um ISO com a dimensão de 7.839.154.176 bytes, enquanto os dados ocupariam um espaço mínimo de 7.810.551.892 bytes; uma diferença mínima. A diferença entre estas duas dimensões será ocupado com indicação de espaço vazio e a compressão seria quase nula (no emule).

******************** ********************


Pretendendo gravar com o ImgBurn, e depois de seleccionar a opção de gravação na janela principal do programa (vide a figura inicial, opção 1), aparecerá a janela de gravação, com as opções para definir.

resim


2. [Souce] - Indicação do ficheiro que pretendemos gravar; clicando na imagem da pasta navegamos até podermos indicar o que queremos gravar

Nota 8: Por vezes além do file ISO, vai também um file de extensão MDS; este file é criado pelo ImgBurn com o objectivo de guardar as informações respeitantes ao ISO com o mesmo nome, nomeadamente a indicação do layer break. Se tiverem os 2 ficheiros reunidos na mesma localização e se pretenderem gravar, poderão indicar o file MDS que, assim, o ImgBurn não pedirá mais nenhuma informação. No caso de seleccionarem o ficheiro ISO, o programa "ironizará" com vocês apresentando uma mensagem como indicado em [1]!

3. [Destination] - Se possuírem mais do que um gravador, indicar qual o que vão utilizar. Se tiverem só um ele fica definido por defeito.

4. [Current profile] - Dados referentes ao mídia que vão utilizar para gravar. Na imagem indicação de que é um Dual Layer. Podem aí encontrar outras indicações, como velocidades e fabricante entre outras.

5. [Settings] - Configuração da velocidade de gravação a utilizar. Por norma já tenho criado uma base de dados com os mídia/velocidade de gravação utilizada, por isso o programa ao reconhecer o dvd introduzido automaticamente ajusta a velocidade. Podem fazer isso clicando no símbolo a verde à direita (depois de introduzido a dvd), que abre a base de dados; aí definem a velocidade de gravação e dão OK, regressando a esta janela. A partir desse momento, sempre que meterem um dvd idêntico (mesmo ID), a velocidade é ajustada.

Nota 9: Apesar das velocidades de gravação poderem ser elevadas, para uma maior compatibilidade com os leitores, utilizo a velocidade mais baixa permitida pelos mídia. Por exemplo, os Dual Layer que vão até 8x em termos de velocidade de gravação, podem também ser gravados a 4x ou 6x (no caso da figura, como utilizei o gravador do portátil para fazer esta imagem, as velocidades são de 3x, 4x e 6x) em quase todos os gravadores. A velocidade de gravação que tenho definido para eles é de 4x. Demora mais um pouco mas não tenho grandes problemas de compatibilidade. Os dvd5 normalmente exigem velocidades mínimas de 6x ou 8x.

6. [Gravação] - Estando tudo perfeitamente configurado é só dar início à gravação. E esperar que termine!

Nota 10: Se verificarem na imagem, no terceiro passo, tenho um tick na opção de Verify. Esta opção, estando ligada, faz com que, depois da gravação, o software verifique o disco gravado, à procura de qualquer falha: na prática ele lê a imagem e o disco, tentando ver se a hash dos dois é igual, isto é, se a cópia ficou perfeita. Eu faço sempre isto, é uma maneira de garantir (mas não a 100%) que correu tudo bem. São mais 10-15 minutos que se perdem, mas se alguma coisa correu mal ainda podem fazer uma nova gravação; apagando o ISO nem sempre é possível recuperar do dvd mal gravado todos os dados de novo... Segurança.

Espero que as gravações e criações de ISOs vos corra bem. Qualquer dúvida que possa surgir, nada como perguntarem: se souber respondo; senão procura-se uma resposta.


Nota Final: O ImgBurn não gosta de gravar imagens criados por outros programas (problema com o Layer Break). Quando for assim aconselho a montar a imagem numa drive virtual, voltar a ripar para disco em formato VOB (utilizem qualquer programa mas aconselho AnyDVD ou o DVD Decrypter, este último se não for necessário tirar alguma protecção esquecida) e depois criar um novo ISO, agora com o ImgBurn. Ficará perfeito para poder ser gravado por ele. É assim que faço e até hoje só uma única vez tive problemas irresolúveis (por má criação dos ISOs, talvez por problemas com o programa utilizado).
resim
Responder
Thanks given by:


Saltar Fórum:


Utilizadores a ver este tópico: 1 Visitante(s)

GoldTeam Forúm

GoldTeam © 2016-2019
Termos e Condições | DMCA